Incentivar quem sempre me incentivou. | ETC Intercâmbio intercambio 50+ intercambio maior idade

Incentivar quem sempre me incentivou.

Acompanhar este grupo de intercambistas acima de 50 anos teve um gosto especial para mim, afinal meus pais faziam parte.

Mesmo não conhecendo todos os alunos, o cuidado é sempre o mesmo! Mas a percepção do impacto que o intercâmbio faz na vida das pessoas só é possível quando realmente conhecemos elas…algo como comparar o antes e o depois.

Segundo dados divulgados pela Belta (Brazilian Education & Language Travel Association) o aumento no setor de intercâmbios corresponde a um crescimento na casa 20% ao ano. Mas por que as pessoas mais maduras estão indo em busca de novas experiências?

A população está envelhecendo ativamente, buscando realizar sonhos antigos sem se preocupar com a idade! E também não querem parar de aprender coisas novas.

No caso dos meus pais, foi muito mais um incentivo meu do que vontade genuína deles. Mesmo sendo viajantes assíduos, (anualmente viajam a turismo), toparam experimentar o tal intercâmbio.

Mas e agora, como será com o intercâmbio?

Senti a empolgação deles no aeroporto, afinal adoram viajar, mas comecei a ser surpreendida logo no primeiro dia de aula. Minha mãe falava que apesar de ter ficado em sala separada do meu pai, estava super feliz com a turma e elogiava a professora. Os dias foram passando e a empolgação de estar novamente em sala de aula foi gerando auto confiança. Mandava vídeos emocionantes falando do seu momento de alfabetização em inglês: “Estou me sentindo uma criança aprendendo a escrever… fora da sala de aula fico observando os outdoors, placas e logo reconheço algumas palavras, é simplesmente demais”.

Já meu pai, no seu jeito tranquilo, demostrava menos com palavras, mas a sua alegria em também estar vivendo um ambiente estudantil era nítida. “Muito bom voltar à sala de aula mais maduro, o aprendizado é mais prazeroso. Já sei até fazer compras sozinho. E as atividades turísticas são ainda mais completas. ”.

Mas não é só de estudo que vive o intercâmbio, pelo contrário tem a parte da diversão e conhecimento turístico, porém de uma forma mais completa. Eles não visitavam apenas os pontos turísticos, aprenderam um pouco sobre a rotina dos malteses, a dinâmica da cidade e a característica daquele povo. Exploraram todo o país, conheceram lugares maravilhosos, aprenderam sobre os mais de 5 mil anos de história e fizeram novas boas amizades, que com certeza será para sempre.

E como me senti observando estes 15 dias de intercâmbio deles? Mais feliz e realizada, porque estava vendo-os felizes. Animada, em saber que já estão pensando no próximo intercâmbio e que vão continuar estudando inglês, no Brasil.

Felicidade hoje, boa saúde mental nos próximos anos.

Na idade deles, o importante é a felicidade atual, é pensar no presente…Já seria suficiente. Mas se falarmos dos benefícios de um novo idioma na vida de um idoso, estudos comprovam que o estudar retarda em até 5 anos problemas mentais, como o temido Alzheimer. “Milhões de pessoas no mundo aprendem uma segunda língua mais tarde da vida. Nosso estudo mostra que ser bilíngue, mesmo que isso só aconteça na vida adulta, pode trazer benefícios para o cérebro”. Pesquisador Thomas Bak (Universidade de Edimburgo Escócia).

Em breve contarei como é o segundo intercâmbio de alguém bem próximo. Espero que seja tão enriquecedor quanto o primeiro, mas até lá, deixo eles curtirem as boas memórias do intercâmbio em Malta.

Neila Chammas

Fundadora e CEO da ETC Intercâmbio.

FOTO: Rabeb, Neila e Agnaldo – 1998 quando mesmo sofrendo com a ideia, incentivaram a fazer o intercâmbio do High School.