SAIBA MAIS SOBRE DIOGO JANSEN: DIRETOR DA ETC BELO HORIZONTE

E aí, pessoal! Tudo bem?

Aqui quem fala é Diogo (@_diogojansen), sou sócio-diretor da ETC Intercâmbio de Belo Horizonte (@etcintercambiobh).
Falar da minha história dentro do mundo do intercâmbio sempre é bom e me traz excelentes recordações.

Desde de criança sempre viajei muito com meus pais. A grande maioria das vezes dentro do Brasil e sempre de carro. Então, desde cedo, fui estimulado a conhecer lugares diferentes, cidades pequenas, culturas de outras regiões… Foi algo que me encantei desde pequeno.

Muito em função disso, decidi logo o que queria estudar na universidade. Entrei em 2007 na faculdade, cursei Turismo na UFMG.

Logo no ano seguinte, em 2008, decidi fazer meu primeiro intercâmbio. Fui para os Estados Unidos, em uma cidade de 10 mil habitantes, chamada Riverton – no estado do Wyoming. O que fui fazer lá? Trabalhar em uma rede de fast food. Quando eu falo assim, não parece uma experiência tão incrível, não é?! Errado! Foi fantástico. Tive a oportunidade de conhecer uma região totalmente fora do circuito turístico, conheci amigos que levei para vida, entendi a cultura de trabalho de um país de primeiro mundo, aperfeiçoei meu inglês… Foi uma experiência que me proporcionou um grande crescimento pessoal e profissional. Não é à toa que, quando voltei, tinha decidido que era isso que eu queria fazer na vida – ajudar a proporcionar essa mesma experiência para outras pessoas.

Com isso decidido, comecei pelo começo (rsrsrs). Fui atrás de estágios. Antes de encontrar algo na área de intercâmbio, passei pela hotelaria. Mas foi em outubro de 2010 que consegui aquilo que buscava. Iniciei um estágio em uma agência de intercâmbio. Fiquei até final de 2011 – quando me formei. Foi uma experiência incrível, em que pude conhecer a parte profissional da organização do intercâmbio e me apaixonar ainda mais pela área. Quando me formei, recebi uma oferta para me tornar consultor dessa agência. Qual foi a minha resposta? Não! Tinha decidido que queria explorar mais o mundo. Peguei minhas coisas e fui para Inglaterra, onde fiquei por quase 6 meses. Morei em Brighton e Londres, mas ainda conheci algumas cidades no entorno. Além de ter tido a chance de viver em uma das mais incríveis cidades do mundo, aproveitei para conhecer escolas e agências do país, além de entender o mercado do intercâmbio sobre a ótica internacional.

Antes mesmo de voltar, resolvi mandar meu currículo para diferentes agências e recebi um retorno da ETC de Belo Horizonte, que estava atrás de um consultor. Fiz minha entrevista via Skype, direto da Europa. Após chegar no Brasil, passou uma semana, já estava trabalhando. Fiquei apenas 6 meses, pois fui convidado para um outro projeto, no qual ajudaria a abrir uma agência de intercâmbio. Foi um momento muito importante. Além de ter tido a oportunidade de entender o negócio em todas as suas vertentes, ainda frequentei feiras internacionais no Brasil e no exterior, realizei fam trips em vários países do mundo, conheci os mais renomados profissionais e fui construindo meu nome. Em meio a tudo isso, ainda fiz um MBA, para agregar conhecimento.

Por coincidência do destino, quando decidi sair do projeto, a ETC de Belo Horizonte estava em busca de alguém para conduzir o setor de intercâmbio da agência. Era a hora de voltar. Em uma conversa decidimos tudo. Entre o segundo semestre de 2014 e o início de 2016 me envolvi ainda mais com o intercâmbio. Até que, em março de 2016, assumia ETC em BH, me tornando sócio diretor, posição em que estou até hoje.

Foram 5 anos e meio entre meu primeiro estágio e me tornar diretor. Nesse meio tempo fiz diversas viagens (tendo a possibilidade de conhecer países nos 5 continentes), conheci profissionais incríveis, aprendi muito, me tornei coordenador regional da BELTA em Minas Gerais e o mais importante, realizei muitos sonhos de intercambistas – que viveram experiências incríveis. Isso é o que mais me motiva. Em cada intercambista, vejo a mim mesmo quando realizei minha primeira experiência. O mais recente (se está lendo isso em maio/2020), foi para Toronto, onde levei minha mãe. Foi o primeiro intercâmbio dela – apesar de ter viajado bastante. Ver o quanto ela gostou e considerou a experiência incrível só me faz ter a certeza que, o que fazemos, é muito além de vender pacotes de viagem. É realizar sonhos, provocar mudanças, despertar um crescimento cultural nas pessoas. E é por isso que, apenas de sermos profissionais da área, também somos eternos intercambistas!

 

Quer nos contar a sua história? Como a ETC intercambio mudou a sua vida?

Mande para mkt@etcintercambio.com.br a sua história e fotos 😀