top of page
Fundo vermelho

Blog

Blog_edited.png

As estátuas mais emblemáticas pelo mundo

Feitas de mármore, cobre, bronze e até mesmo terra, algumas estátuas e esculturas são símbolos da arte cultural do país, e que se transformaram em cartões-postais. Conhecê-las pessoalmente é uma oportunidade de conhecer a fundo a cultura local.

Quando falamos em arte, pensamos em um mundo abrangente de possibilidades, seja na música, na dança ou nas artes plásticas. A arte traduz a cultura de uma sociedade, e poder apreciá-las vai além de apenas contemplar sua beleza, mas sim, entender sua história. Separamos aqui algumas das esculturas e estátuas mais bonitas pela mundo, veja abaixo:


O Pensador

Paris - França

Em 1880, o francês Auguste Rodin, pai da escultura moderna, foi convidado a elaborar uma peça para o Museu de Arte Decorativa em Paris baseada em A Divina Comédia, de Dante Alighieri. Dessa encomenda saiu a obra A Porta do Inferno, um grande portal com 180 figuras de bronze, entre elas o famoso homem que apoia o queixo em um dos punhos. O personagem em questão retrata o poeta italiano e, apesar de ser batizada inicialmente como O Poeta, a peça ficou conhecida pelos visitantes que passavam pela entrada do museu como O Pensador. A escultura ganhou outras versões feitas pelo próprio artista, entre elas a mais famosa, que tem 1,86 metro de altura e está exposta no Musée Rodin, em Paris. No Brasil, a escultura pode ser apreciada no Instituto Ricardo Brennand, em Pernambuco, onde há uma versão que foi feita usando o molde original


Exército de Terracota

Província de Xian - China

Uma das principais relíquias da história foi descoberta por acaso. Em 1974, agricultores chineses escavavam uma área seca da província de Xian para construir poços, quando encontram estátuas de pedra. As figuras faziam parte de um acervo de mais de 8 mil figuras de guerreiros, outras de 520 cavalos e 130 de carruagens, modeladas artesanalmente em tamanho natural. Cada peça era única e os militares portavam armas de bronze reais. O exército fica a cerca de um quilômetro e meio do mausoléu do imperador Qin Shihuangdi (260-210 a.C.), construído para que ele tivesse em morte todo o poder e a riqueza que gozou em vida. Segundo o historiador Sima Qian, cujos registros são a principal fonte de informações sobre a construção, mais de 700 mil pessoas de todos os cantos do país trabalharam nas obras, que demoraram 38 anos para serem concluídas.


Greetingman

Montevidéu - Uruguai

Em outubro de 2012, o bairro de Buceo, em Montevidéu, ganhou o que seria a primeira de uma série de esculturas feitas pela Coreia do Sul para selar a paz e a amizade com outros países. A capital do Uruguai não foi escolhida à toa. A cidade é um antípoda da Coreia, área da Terra localizada diametralmente oposta. A estátua, criação do artista plástico coreano Yoo Young-ho, tem seis metros de altura e exibe uma figura curvada para baixo, mostrando uma reverência típica do povo asiático. Trata-se de um homem nu que representa todos os homens, e não um determinado tipo ou raça, e é pintado de azul claro porque, segundo o escultor, essa é a cor da alegria e da luz. O projeto custou 200 mil dólares e foi financiado com a venda de 800 esculturas semelhantes, mas feitas em menor escala.


Busto de Nefertiti

Berlim - Alemanha

Em 1912, época das expedições europeias no Oriente Médio, quando a equipe de arqueólogos alemães liderada por Ludwig Borchardt encontrou um sítio egípcio que ficou conhecido como Ateliê Tutmés. Lá, eles descobriram o busto de Nefertiti, um dos artefatos mais simbólicos do Antigo Egito. O objeto foi levado para a Alemanha e passou por diferentes instituições, até chegar ao Neues Museum, onde está atualmente. Feita de calcário, a escultura tem cerca de 3.400 anos de idade e representa a rainha egípcia que foi esposa do faraó Akhenaton. Sua autoria não é exatamente conhecida, mas acredita-se que seja obra do escultor Tutmés e que tenha sido produzida próximo a 1345 a.C. Símbolo cultural da capital alemã, bem como do Egito Antigo, a estátua é tema de uma intensa discussão histórica entre os dois países, já que, desde a década de 1920, as autoridades egípcias reivindicam sua devolução.


Estátua da Liberdade

Nova York - Estados Unidos

Um dos principais símbolos dos Estados Unidos, a estátua foi um presente dado pela França para comemorar a aliança entre os países durante a Guerra Revolucionária. O monumento de 45 metros de altura representa a Libertas, a deusa romana da liberdade, que sustenta uma tocha na mão direita e a Declaração da Independência dos Estados Unidos, na esquerda. O famoso cartão-postal foi construído peça por peça ao longo de nove anos e suas partes ficavam expostas em Paris à medida que eram finalizadas, a exemplo da cabeça e da tocha, que ficaram por algum tempo nos Jardins du Trocadéro. A obra foi concluída em 1885, quando foi enviada para Nova York, e foi inaugurada em 28 de outubro de 1886, na Ilha da Liberdade, depois de meses de montagem. Feita de cobre, ela tinha outra aparência. A cor verde demorou 20 anos para pegar, em um processo chamado de pátina vert-de-gris.


Maman

Ottawa - Canadá

Ao longo de uma carreira de quase sete décadas, a artista francesa Louise Bourgeois ficou famosa por suas belas esculturas, entre elas a imponente Maman, criada para a inauguração da Tate Modern em Londres em 2000. A enorme aranha faz parte de uma série inspirada no aracnídeo que ganhou versões em diferentes partes do mundo, a exemplo da que fica na Galeria Nacional do Canadá, em Ottawa. A obra, de mais de nove metros de altura, ergue-se sobre pernas que lembram arcos góticos e funcionam como gaiola e covil de proteção dos ovos que estão presos ao seu abdômen. O animal, que apareceu pela primeira vez em desenhos feitos pela artista na década de 1940 e ganhou destaque em sua obra durante a década de 1990, é uma homenagem de Bourgeois à mãe, que era tecelã. A obra, inaugurada em 1999, revela a ambiguidade do amor materno, que, segundo ela, preda e protege. O tamanho superlativo tem também dupla função: provocar medo e compaixão já que, segundo a artista, o enorme ser mostra vulnerabilidade ao tentar se equilibrar sobre as patas.


David, de Michelangelo

Florença - Itália

Encomenda da igreja católica como parte de uma série de figuras de profetas e personagens bíblicos, a estátua é uma das principais obras de Michelangelo. Herói do Antigo Testamento, David derrotara, com coragem e destreza, o gigante Golias, libertando o povo da ameaça dos soldados filisteus. A escultura, inaugurada em 1504, foi criada para enfeitar a entrada da catedral de Santa Maria del Fiore, em Florença, mas acabou posicionada em frente ao Palazzo della Signoria, sede do governo da época e, hoje, está no interior da Galleria dell’Accademia. A obra, símbolo do Renascimento, tem 5,17 metros de altura e impressiona pela riqueza de detalhes, como os músculos marcados e até as veias dos braços e das mãos. Com essa obra Michelangelo mostrava seu domínio na representação anatômica e assumia o nu total, algo que, para o artista, era fundamental, já que o corpo representava a obra-prima de Deus.


Já pensou em conhecer uma dessas esculturas pessoalmente? O intercâmbio é uma ótima opção para conhecer a fundo a história e a cultura de um local! Clica aqui e converse com um especialista para saber mais sobre essa experiência.


214 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page